Diamante: Conheça a origem e o valor desta pedra preciosa!

diamante

O diamante é reconhecido pelo seu alto valor monetário e, sobretudo, pela elevada resistência. Diz-se que estes são os melhores amigos da mulher, mas cada vez mais homens apreciam acessórios com esta pedra preciosa. A beleza do diamante é inconfundível e ninguém lhe resiste!

Mas, afinal, porque é que estas pedras preciosas atingem valores tão elevados? Vamos explicar-lhe isso mesmo neste artigo, mas não sem antes abordar a origem deste mineral tão belo e raro.

 

Qual a origem do diamante?

 

Esta pedra valiosa pode ser encontrada na superfície terrestre, mas é a cerca de 160 km abaixo desta que se reúnem as condições que dão origem ao carbono puro cristalizado, ou seja, ao diamante. No chamado manto terrestre, as temperaturas elevadas, aliadas à alta pressão que se verifica, dá origem a rochas magmáticas denominadas Peridotitos, Lherzolitos e Wehrlitos. Quando existem erupções vulcânicas, estas vêm ter à superfície, onde acabam por ser encontradas.

É nestas difíceis condições que se formam estes minerais, que tornam o diamante uma pedra tão valiosa, resistente e cada vez mais difícil de encontrar!

 

Como é determinado o valor de um diamante?

 

Por ter na sua base carbono puro, o diamante é uma das jóias com maior grau de dureza que existem no mercado das pedras preciosas. A grande maioria dos diamantes encontrados, apesar do seu valor, não é utilizada para a fabricação de joias, sendo aproveitada para a produção de instrumentos cortantes, dada a sua dureza. Só uma pequena percentagem reúne as condições para ser trabalhada e dar origem às mais belas peças de joalharia. Nestas situações, o seu valor é determinado por 4 fatores principais:

 

1. Peso

 

O peso do diamante é medido em quilates. Esta é a medida internacionalmente utilizada para a maioria das gemas. Cada quilate equivale a 0,2 g. Quanto maior for o peso do diamante, mais valioso este se tornará.

Em joalharias, é possível fazer esta contagem através de pontos, sendo que 1 quilate equivale a 100 pontos. Obviamente, quanto maior o número de pontos, mais valiosa será a pedra preciosa.

 

2. Lapidação

 

O diamante é normalmente encontrado no formato octaédrico, ou seja, com 8 faces. Como esta não é a forma mais atrativa, é necessário lapidá-lo. Este processo também acaba por determinar o valor deste mineral, pois, quanto mais complexo for, mais valioso será o diamante.

Atualmente, o procedimento mais utilizado é a Lapidação Brilhante, de forma arredondada. É assim denominada pois considera-se que é a que mais realça o brilho da pedra. Além deste, existem outros 3 processos de lapidação: Princess (de formato quadrado), Navete e Coração.

 

3. Cor

 

A cor também é determinante para o valor final do diamante. Quanto mais incolor for, mais valioso se tornará. A variação de cores é medida através de uma escala que vai do D (sem cor) ao Z (amarelo acentuado).

Alguns diamantes ainda mais raros, encontrados com cores como o laranja, o azul, o rosa e até o amarelo, não entram nessa escala. Nesse caso, o valor é determinado apenas pela sua raridade.

 

4. Pureza

 

Todos os diamantes são diferentes, não há um igual ao outro. Para determinar o grau de pureza de um diamante, são analisados fatores como o tamanho, a natureza, a posição e o realce e quantidade das inclusões. A escala tem 11 graus que vão desde o Flawless (extremamente raro) até ao Inclusion 3.

 


 

Subscreva o nosso Blog

 

 

Deixe uma resposta